Há uma nova linha lançada pelo Governo e que arrancou em Outubro e permitirá apoios máximos entre 100 e 300 mil euros, consoante os projectos forem promovidos por privados ou entidades públicas.

Deste modo o Governo pretende fomentar o turismo, uma oportunidade que não deve desperdiçar. E saiba que se o seu negócio estiver online ele terá maior probabilidade de ser encontrado. No sector do turismo as pesquisas online, por alojamentos e locais a visitar portugueses tem vindo a disparar. Há estudos  publicados com as preferências dos turistas, nomeadamente pela crescente preferência de buscar de informação online. Este estudo realizado para estudar o turista brasileiro e realizado pela revista VIAGEM E TURISMO que transcrevemos:

«o turista brasileiro prepara sua viagem com mais antecedência. Na hora de programar as suas férias, 36% dos participantes da pesquisa recorrem a informações de revistas de viagem. A Internet vem conquistando cada vez mais espaço nesse planeamento: 34% afirmam consultar sites e blogues para buscar informações. Operadoras de viagem aparecem em 3º lugar, com 13% das menções. »

Assim, aproveite esta linha de apoio e coloque o seu negócio turistico na Internet. Nós desenvolvemos websites, lojas online e aplicações web / móveis. Caso necessite de gerir a sua rede social também podemos ajudar a promover a sua marca, por via de um plano de comunicação digital, profissional. Visite este site, um trabalho recente, para promover o turismo na freguesias de Estreito – Vilar Barroco, Oleiros.

Transcrevemos a notícia publicada pelo Jornal de Negócio:

O Governo lançou esta quarta-feira, 27 de Setembro, uma linha de apoio de 10 milhões de euros para projectos de turismo sustentável.

O instrumento financeiro destina-se a empresas, entidades públicas, associações de comércio ou de moradores e entidades ligadas à natureza.

A linha em causa estará disponível de Outubro de 2017 e Dezembro do próximo ano. Os apoios ascendem a 80% do valor das despesas elegíveis, com um máximo de 300 mil euros se a entidade for pública e 100 mil euros no caso das empresas.

Em comunicado, o Executivo explica ainda que metade do financiamento pode ser convertida em não reembolsável no caso das empresas. Para as entidades públicas ou associações, esse valor sobe para os 80%.

Nos projectos que podem ser apoiados contam-se aqueles ligados à higiene urbana, acessibilidade, sinalética ou ainda à requalificação das lojas históricas bem como o consumo de produtos locais. A educação e sensibilização ambiental e social no turismo é outro dos aspectos a privilegiar.

Segundo Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, esta nova linha “visa atingir os objectivos e metas traçados no âmbito da Estratégia Turismo 2027 no que à sustentabilidade social e ambiental diz respeito”.

Nesse documento, publicado esta quarta-feira em Diário da República depois da aprovação em Conselho de Ministros, surgem diferentes metas ao nível da sustentabilidade.

A vontade é de que Portugal tenha, dentro de dez anos, mais de 90% das suas empresas do turismo com práticas de utilização eficiente de água e energia bem como gestão eficiente dos resíduos.

Outra das metas é de que mais de 90 % da população residente considere “positivo o impacto do turismo no seu território”.

Esta quarta-feira, 27 de Setembro, comemora-se o Dia Mundial do Turismo